Last updated on | Metodologia Scrum

Sprint Review: Tudo o que precisa de saber sobre este evento

by Luís Gonçalves
reunião de sprint review

Uma reunião de Sprint Review dá-se depois do Sprint ter sido feito. Destina-se a inspeccionar o Incremento e adaptar o Product Backlog, se necessário. Enquanto a reunião de Sprint Review está a decorrer, a equipa Scrum e as partes interessadas avaliam o que foi feito durante o Sprint.

A review não é uma reunião sobre o estado da situação, a sua função é a de para partilhar informação. É somente para obter algum feedback e garantir que existe colaboração entre todos.

Durante um Scrum, uma reunião normal sprint é agendada para determinar a usabilidade do produto. Durante cada Incremento ou Sprint, é expectável que as equipas entreguem um produto pronto a ser enviado.

Para assegurar o seu sucesso, a reunião de sprint review é levada a cabo após o final de cada sprint. Durante a review, a equipa Scrum mostra, às partes interessadas, aquilo que atingiram, demonstrando as novas funcionalidades acabadas de ser desenhadas.

As reuniões de Sprint review são deliberadamente informais; programas como o PowerPoint são proibidos e é definido um tempo limite de preparação de 2 minutos. Estas reuniões não são, nem devem ser vistas como uma distracção ou como um desvio no trabalho da equipa.

Pelo contrário, devem funcionar como uma transição natural e reflectir o resultado da sessão sprint.

Tipicamente, participam na reunião de sprint review, o Scrum Master, os membros da equipa de gestão, o product owner, clientes, developers de outros projectos, e a equipa Scrum.

Na reunião de planeamento sprint, define-se um objectivo para o software. Atingir este objectivo sprint é muito importante. Para assegurar que tal foi feito, o projecto entregue é avaliado e comparado com o objectivo durante a sprint review.

Cada product backlog é também trazido a review para garantir que o objetivo foi atingido.

Reunião de Sprint Review

Numa reunião de Sprint Review g, a equipa Scrum e as partes interessadas discutem o trabalho feito durante o Sprint. Depois de avaliar o trabalho, juntamente com as mudanças feitas ao Product Backlog, o grupo colabora em relação aos passos que devem ser dados, no sentido de optimizar o valor do software.

Estas reuniões são sempre intencionalmente informais, de modo a manter o grupo concentrado e encorajar o feedback e a cooperação.

Para Sprints de um mês, as reuniões de review devem durar, pelo menos, quatro horas; referidas como sessões de time-box. Se as sessões sprint forem de duração mais curta, as reuniões de review serão também mais curtas.

O Scrum Master é responsável por agendar a reunião e informar, todos os participantes, sobre o propósito da review. O Scrum Master também é responsável por assegurar que a reunião se mantém dentro da time-box.

A reunião de Sprint review deve incluir o seguinte:

Assistência e participação da Equipa Scrum, product owner e partes interessadas convidadas.

  • Product Owner deve reportar os itens no Product Backlog; que backlog items já foram feitos e os que ainda não.
  • A equipa de desenvolvimento     discute o que correu bem e que problemas enfrentaram. Também devem informar o grupo sobre o que foi feito para resolver esses mesmos problemas.
  • A equipa de desenvolvimento demonstra o seu trabalho completo, respondendo às questões sobre o seu incremento.
  • O product owner lidera a discussão no Product Backlog como está actualmente. Definem-se datas de conclusão projectadas, baseadas no progresso da Sprint Session. Para dar um input valioso no planeamento Sprint, o grupo inteiro estabelece os passos seguintes durante a reunião de Sprint review.
  • Esta é uma altura para rever potenciais mudanças no mercado, avaliar o projecto e ver as as áreas são consideradas mais valiosas. Também se devem delinear os passos seguintes.
  • Rever a timeline, orçamento, capacidades potenciais e o mercado, no sentido de determinar o próximo lançamento antecipado de produto.

No fim da Sprint Review, devem ser feitas revisões ao Product Backlog para definir melhor os itens backlog prováveis para a próxima sessão Sprint.

O Product Backlog pode ser completamente ajustado para introduzir novas oportunidades.

Foco no Utilizador Final

As empresas podem assumir uma posição relutante no que diz respeito aos utilizadores finais por diversas razões: algumas temem o scoop creeping, outras acham que não lhes é permitido perguntar aos utilizadores finais se se querem envolver, e há ainda aquelas que não sabem quem é o seu utilizador final.

Envolver o Product Owner

Muitas empresas organizam as suas sprint reviews como apresentações da equipa, com o intuito do product owner avaliar ou ajuizar o seu trabalho. Este formato não faz sentido algum!

As Sprint Reviews não são inquirições legais ou tribunais, são uma reunião informal desenhada para garantir o feedback do cliente.

Mais do que apresentar os seus dados a um product owner que ajuiza, as equipas deviam colaborar com este, no sentido de rever a user story finalizada.

No início da sprint review, o product owner deve dar as boas-vindas a todos e fornecer uma visão geral do projecto. Ele pode discutir os objectivos do Sprint: as metas que foram atingidas e as que ainda não.

Também é uma boa altura para falar sobre o nível de qualidade do produto, o lançamento do software e o product burndown.

O product owner pode apontar o que avaliadores devem procurar e explicar à equipa como dar o seu feedback. Depois de terminar as suas declarações introdutórias, o product owner pode passar a reunião à equipa Scrum, para uma demonstração das capacidades funcionais do software.

Compreender as Dinâmicas de Grupo

The group dynamics são alteradas significativamente quando o foco das reuniões muda de um só product owner para um grupo colaborativo que inclui a equipa Scrum, as partes interessadas e os end users. 

Quando o product owner se torna parte da equipa que vai apresentar, os papéis acima mencionados mudam. Aqui está como cada grupo é afetado:

Product Owner

O papel do Product Owner muda para um papel de real proprietário do produto. Como membro-chave da equipa, este torna-se mais responsável e o encarregado do produto.

É responsável pelas tomadas de decisão e por apresentar os resultados aos utilizadores finais e às partes interessadas.

Chega-se à frente e apresenta o incremento do produto e dá insights sobre o estado do projecto.

Ao mudar de papel, o proprietário compreende que ele/ela se torna mais disciplinado em manter o design do produto, lançar burndowns, e definir um nível de qualidade para o trabalho.

Outro subproduto notório desta mudança é que as discrepâncias se podem dar imediatamente.

Se as perceived reviews das necessidades do utilizador final não corresponderem às suas necessidades actuais, talvai-se tornar imediatamente perceptível.

Equipa Scrum

A equipa Scrum tem um grande sentido de orgulho e realização e é a que está melhor posicionada para demonstrar o seu trabalho ao grupo.

Tem tempo para o utilizador final e, no melhor cenário, possível encontram-se com eles, cara-a-cara. Sabe que o utilizador final é a melhor forma de desenvolver software de qualidade que vai oferecer o maior valor ao mesmo.

Ao aprender a aceitar o feedback em cada sessão sprint, a equipa será mais apreciada pelos product owners e clientes. Também se sentirá menos julgada ou avaliada pelo product owner.

A equipa vai sair da reunião com mais energia e motivação para o sprint seguinte.

Executivos da Empresa/Partes Interessadas

Quando os executivos e as partes interessadas fazem parte da reunião de review, podem ver a equipa a trabalhar, enquanto, ao mesmo tempo, participam numa review do trabalho feito e das acções tomadas.

Adicionalmente, os utilizadores finais podem pessoalmente informar os executivos/partes interessadas sobre as suas necessidades.

Mais importante, aprendem a agir apropriadamente. As dinâmicas destas reuniões são significativamente diferentes, quando os clientes fazem parte da sessão.

Quando os utilizadores finais estão presentes, os executivos e as partes interessadas perdem menos tempo a discutir e a criticar outros.

Pelo contrário, todos se comportam da melhor forma, assegurando que a review é mais motivadora e produtiva.

Utilizadores finais/Clientes/Parceiros

Sem dúvida, os utilizadores finais são as estrelas das reuniões de review devido ao valioso tempo, cara-a-cara, com os software developers.

Passam tanto tempo com o grupo de development, que desenvolvem um certo sentido de pertença. Como passam tanto tempo e envolvem-se tanto no desenvolvimento do projecto, os utilizadores transformam-se nos maiores apoiantes da empresa.

Este conhecimento adquirido é importante para a redução do fluxo de chamadas de apoio, que são comuns depois de um lançamento.

Scrum Master

O Scrum Master facilita a sprint review. Estabelece um ambiente de confiança entre todos os membros, para que grandes coisas se possam realizar e para que sejam cumpridas metas.

Para o fazer acontecer, o Scrum Master tem de assegurar que as pessoas certas estão na reunião. Ele/ela também tem de assegurar que a sala é certa e que se encontra devidamente abastecida.

Outros detalhes menores, como encomendar comida e bebida também são da responsabilidade do Scrum Master.

Enquanto isto pode parecer pouco importante para alguns, a comida é o combustível que as equipas necessitam para continuar com o seu árduo trabalho, durante as reuniões.

Pessoalmente, costumo ter grandes conversas com equipas enquanto comemos juntos.

Uma coisa a manter em mente, é que isto não é um espectáculo do Scrum Master – ele não é a estrela. O Scrum Master está lá para apoiar a equipa.

Dá as boas-vindas aos utilizadores finais e certifica-se que estão incluídos na equipa, têm hipótese de ser ouvidos e enconntram-se nos bastidores.

Ser Corajoso

Para dominar a arte do feedback, primeiro tem de criar um ambiente que propicie um feedback aberto.

Envolver os utilizadores finais nas sprint reviews pode ser assustador, mas lembre-se: ouvir o feedback antecipadamente dá-lhe tempo para fazer os ajustes necessários.

Esperar até ao fim para se descobrir que se optou pelo caminho errado é uma perda de tempo e de recursos preciosos. Então, se ainda está com medo do scope creep, relaxe. Durante a review, o Product Owner irá primeiro decidir que trade-offs fazer depois de cada sprint review.

Pode usar esta oportunidade para descobrir mais sobre o que os utilizadores finais precisam e aquilo que não precisam; tal ajuda a reduzir e a eliminar a sobreprodução de algumas funcionalidades que nunca serão usadas.

Ao focar-se no utilizador final, e criando energia e entusiasmo, irá criar uma sprint review à qual os clientes quererão assistir. É fácil de fazer; simplesmente preparar uma review que ofereça valor directo ao utilizador.

Uma vez feito isso, encoste-se à cadeira e ouça. Ficará surpreendido com aquilo que vai aprender.

ORGANISATIONAL MASTERY SCORECARD

Desenvolvi um teste grátis que o vai ajudar a identificar que areas da sua organisação precisam de mais ajuda para alcançar excelência no seu processo de Product Development

Faça O Teste
Luís Gonçalves

About Luís Gonçalves

https://plus.google.com/u/0/+LuisGonçalves1979

Luis Gonçalves is an Entrepreneur, Author & International Keynote Speaker. He works with Senior Executives to implement his ‘Organisational Mastery’ system so they can greatly increase the effectiveness and efficiency of their organisations; enabling them to become recognised and highly rewarded Leaders.

Comments

Share your point of view

X